NO ACRE, ENERGISA DIZ QUE VENTILADOR CONSOME MAIS ENERGIA QUE AR CONDICIONADO AO JUSTIFICAR AUMENTO

Enquanto os deputados da ALE-RO ainda estão no processo de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energia, no estado vizinho, o Acre, os parlamentares de lá avançaram aponto de conseguir levar, hoje (25) para o parlamento o diretor-geral da Energisa Acre, Ricardo Xavier, visando esclarecer denúncias e principalmente do aumento desenfreado no valor pago pela energia.

Assim como em Rondônia, a população acreana vem reclamando bastante da taxa cobrada pela concessória e fala na existência de suposta fraude nos relógios que aferem o consumo nas residências. Mas, a passagem do gestor da Energisa na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) foi bastante turbulenta e recheada de episódios hilários protagonizados pelo próprio diretor e sua assessoria.

Tais episódios servem de alerta aos deputados rondonienses ao ouvir da concessionária, em caso de convocação, justificativas incoerentes e sem nexo, afinal, o Grupo Energisa está presente nos dois estados e virou alvo de investigação nos parlamentos. A defesa do grupo funciona, mas sem comprovação técnica. 

No Acre, Ricardo Xavier chegou a afirmar que ventiladores consomem mais energia do que ar-condicionado. O deputado, Jenilson Leite (PSB), que foi autor da “CPI da Energia da Aleac” ficou estarrecido com a declaração do diretor.

Ricardo também justificou o aumento por dizer que “Em algumas contas pode ter ocorrido furto de energia. Pode haver erros no relógio do medidor de energia do consumidor. Os clientes podem se dirigir à empresa para buscar saber detalhes dos seus consumos”, justificou.

Os deputados acreanos apresentaram ao diretor inúmeros talões de luz que tiveram o triplo do valor cobrado e que muitas famílias de baixa renda estão se sentindo lesadas.  Ao responder os questionamentos, Xavier afirma que a central de reclamações da Energisa no Acre ainda não recebeu nenhuma reclamação sobre a possível fraude nos relógios.

Ricardo diz ainda que estranhou o fato ter chegado antes à Aleac do que na Energisa. “O que me causa uma estranheza é o fato das reclamações não terem chegado na nossa central de atendimento, mas, sim, primeiro à Aleac. Não temos nenhuma reclamação fora do normal quanto a aumentos na conta de luz”, concluiu.

Visivelmente insatisfeito com a reunião, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que a Energisa não colaborou e não respondeu os questionamentos de forma plausível.

“Recebemos na Aleac, por convocação, uma comissão de representantes da Energisa para, teoricamente, nos explicar a razão desse evento. No entanto, não há explicação! A empresa não consegue nos responder com argumentos plausíveis o motivo do inacreditável aumento”,disse.

Por fim, o deputado avisou que a CPI vai continuar a aprofundar o tema e anunciará em breve novas ações. “A bandeira vermelha e as diversas taxas cobradas pela empresa não explicam porque os consumidores terão que pagar um valor tão acima de suas contas anteriores. A CPI vai continuar se aprofundando nesse tema e em breve anunciaremos novas ações para defender os acreanos desse absurdo”, concluiu.

 

Fonte: News Rondônia

Comentarios

Todos os comentários são de responsabilidade dos seus idealizadores.